Esse é o principal fato que você deve saber sobre o reganho de peso

[Tempo estimado de leitura: 3 minutos]

Emagrecimento é um processo longitudinal, requer paciência e orientação profissional. Ao passo que é o objetivo de muitas pessoas, poucas conseguem sustentar os resultados positivos por muito tempo nas primeiras tentativas. Isso porque evitar o reganho de peso é um dos pontos cruciais para alcançar o objetivo de forma duradoura.

Mas então como evitar o reganho de peso?

Um estudo com 5145 pacientes com diabetes tipo 2, separados em dois grupos (um recebendo orientações gerais para diabetes e outro recebendo intervenção de estilo de vida intensa, com consulta com nutricionista, educador físico e psicólogo) durante 1 ano visando perda de peso. Depois, por mais 7 anos, os participantes continuaram sendo acompanhados no estudo, recebendo suporte para manutenção do peso perdido.

O grupo que recebeu intervenção de estilo de vida conseguiu perder em média 4,7% do peso inicial após os 8 anos. Enquanto o grupo que recebeu apenas orientações gerais, apresentou perda de 2,1%. Ou seja, o grupo com a intervenção de estilo de vida conseguiu sustentar mais os resultados de perda peso em relação ao grupo que recebeu apenas orientações gerais. A lição que tiramos desse estudo é que uma das chaves para evitar o reganho de peso é o tratamento intensivo, com acompanhamento periódico de nutricionista, educador físico e psicólogo. A intervenção multiprofissional é fundamental no emagrecimento e sustentabilidade dos resultados a longo prazo, uma vez que a obesidade e o próprio processo de emagrecimento são condições multifatoriais!

Outro estudo recente (2020), aborda os principais obstáculos enfrentados por obesos mórbidos (aqueles com IMC de 35 ou mais, com alguma comorbidade associada, ou IMC de 40 ou mais) para manter o peso perdido após uma intervenção (restrição calórica severa).

Os principais fatores que geram o reganho de peso levantados no estudo foram:

a. Fome hedônica (vontade de comer alimentos de alta palatabilidade).

b. Episódios de alimentação compulsiva.

c. Estresse mental (gerado por situações que não envolvam a alimentação).

d. Desmoralização (desmotivação, acredita que não tem capacidade ou suporte para conseguir)

Resumindo, o paciente, apresentando ou não sobrepeso/obesidade, com reganho de peso após uma intervenção de emagrecimento, precisa ser avaliado pela equipe multiprofissional (de preferência) e esta deve estar preparada e apta para receber esse paciente e acolhê-lo sem discriminação para investigar que fatores levaram ao reganho de peso no caso.

Gostou do nosso conteúdo? Se sim, compartilhe com suas(seus) colegas!

EasyDiet, feito por nutricionistas para nutricionistas.

Referências:

DOI: 10.1002/oby.20662

DOI: 10.2337/ds17-0016

DOI: 10.1038/s41430-020-0559-x

Autor do texto: Matheus Medeiros

O blog da EasyDiet é aberto para qualquer nutricionista ou estudante de nutrição enviar textos. Por isso, a responsabilidade do conteúdo do texto é inteiramente do autor(a) e não reflete necessariamente o posicionamento da empresa.

Compartilhe com seus amigos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Sobre o autor

Posts Relacionados

Assine nossa Newsletter