Como utilizar e calcular os MET’s na prática?

O Equivalente Metabólico da Tarefa, mais conhecido na nutrição esportiva como MET (abreviação de Metabolic Equivalent of Task), estima o gasto energético de atividades e exercícios físicos. Mas como utilizar e calcular os MET’s na prática?

Primeiramente, vamos entender um pouco mais sobre os MET’s. O MET de cada atividade/exercício físico está relacionado com o consumo de oxigênio (cerca de 3,5 mL de O2/kg/min) e varia com a intensidade do exercício físico. Por exemplo, o MET do ciclismo com velocidade média entre 16 a 19 km/h é diferente (menor) do MET do ciclismo com velocidade média entre 19 a 22 km/h.

O resultado do cálculo do MET de uma atividade ou exercício físico é em kcal, resultante da multiplicação do MET pelo peso e tempo de duração da atividade ou exercício em horas (MET x Peso x Duração em horas). Isso porque leva-se em consideração que 3,5 mL de O2/kg/min equivale a 1 kcal/kg/h. Ou seja, para um indivíduo com 70 kg que pratica 1 hora de musculação com intensidade média e o MET para esse exercício é igual a 4,5, temos:

4,5 (MET) x 70 x 1 = 315 kcal

Ou seja, para o exemplo acima, o indivíduo gasta 315 kcal para o exercício físico e tempo de duração citados. E esse gasto calórico deve ser adicionado ao cálculo de necessidades energéticas. Porém, devemos ter alguns cuidados na hora de fazer esses cálculos.

Cuidados ao usar os MET’s

Apesar de ser uma fórmula simples e que será apenas somada ao gasto energético, devemos nos atentar em alguns pontos para evitar erros. Por exemplo, em fórmulas de necessidade energética que levem em conta o NAF (nível de atividade física) ou constantes semelhantes, a atividade ou exercício físico em questão deverá ser desconsiderada na escolha do NAF ou constante semelhante no cálculo, caso se utilize o MET posteriormente. Isso porque caso o gasto energético da atividade ou exercício físico seja considerado tanto no NAF ou semelhante, como no MET, o resultado da necessidade energética poderá estar superestimado, visto que foi levado em conta 2 vezes dentro do mesmo cálculo.

Outros cuidados devem ser tomados na hora calcular o gasto energético, como saber com o máximo de exatidão possível a duração da atividade ou exercício físico. Já que é comum casos de superestimação do tempo, principalmente em praticantes de musculação, visto que o tempo de permanência na academia não é necessariamente o tempo da prática de musculação em si. Assim como o tempo de intervalos variam muito de acordo com cada protocolo e devem ser subtraídos do tempo total. Por isso e outras várias razões, sempre mantenha uma boa e clara comunicação tanto com o cliente, como com o treinador do cliente.

Como evitar esses erros

E para minimizar esses erros de cálculos energéticos, você pode usar a EasyDiet. Além das outras várias ferramentas que temos, o cálculo energético foi projetado para que você tenha mais segurança nessa hora. Você escolhe o protocolo que quer usar para o paciente e depois temos os “Esportes praticados”, lugar ao qual você sinalizará ao sistema qual ou quais esportes o paciente pratica. E automaticamente o sistema fará os cálculos em tempo real, com base no respectivo MET de cada atividade ou exercício físico caso você opte por usar esse método. Abaixo temos uma pequena amostra dessa funcionalidade:

Ficou com vontade de testar? Clique aqui e teste gratuitamente!

Gostou das nossas dicas? Se tiver dúvidas e sugestões, entre em contato conosco. Compartilhe com seus colegas e desfrute da EasyDiet, o melhor software de atendimento nutricional do mercado!

EasyDiet, feito por nutricionistas para nutricionistas.

Autor do texto: Matheus Medeiros


FEITO POR NUTRICIONISTAS PARA NUTRICIONISTAS

Impacte mais vidas por meio da nutrição com a EasyDiet!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome *

cinco × 3 =